segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Moderno é ser conservador

 
 

Enviado para você por Penha através do Google Reader:

 
 

via Acerto de Contas de Pierre Lucena em 10/08/09

Diario

A matéria de capa do Diário de Pernambuco de ontem foi o resultado de uma pesquisa realizada pelos alunos da disciplina Pesquisa Quantitativa, coordenada por mim no semestre passado, e teve como objetivo realizar inferências sobre a população de estudantes de ensino superior no Recife.

O resultado da pesquisa me surpreendeu muito. Sinceramente pensava que os alunos fossem mais liberais em relação a uma série de assuntos, mas em sua maioria os estudantes são conservadores. Foram entrevistados 597 estudantes, e a margem de erro é de 4%.

A partir de hoje começarei a divulgar o resultado completo da mesma aqui no blog, e queria agradecer publicamente o DP pela divulgação da pesquisa, em especial pela capa no jornal de domingo.

Os alunos que participaram desta pesquisa foram Adjardo Farias, Amanda Karla, Armando Costa, Cassia Camila, David Martins, Debora Melo, Diogo Nejaim, Farid Idris, Felipe Gomes, Gabriel Leitão, Helber Lira, João Paulo Felix, José Renato Delgado, Juliana Costa, Lucio Flavio, Mariana Viriato, Marilia Gueiros, Nathalia Farias e Thiago Viana.

O relatório abaixo, referente ao perfil dos entrevistados, é do grupo dos estudantes Farid Idris, Helber Lira, Mariana Viriato e Nathália Farias.

Perfil dos entrevistados

Gráfico 1 – Sexo por tipo de Instituição

clip_image002
Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Gráfico 2 – Estado Civil

clip_image002[5]
Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Gráfico 3 – Renda Familiar

clip_image004
Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

No Gráfico 2 observa-se que a grande maioria dos estudantes de nível superior são solteiros (92,1%) e quase 1/3 dos entrevistados, ou seja 31,3%, tem renda familiar superior a 10 salários mínimos, sendo a minoria (2,7%) os que vivem com menos de 1 salário mínimo.

O mesmo fato se observa na Tabela 1 abaixo, onde mesmo divididos por grupos acadêmicos, a maioria dos entrevistados têm renda superior a 10 salários mínimos.

Tabela 1 – Grupos acadêmicos por renda familiar

 

Até 1 SM

Entre 1 e 2 SM

Entre 2 e 5 SM

Entre 5 e 10 SM

Mais do que 10 SM

Não respondeu

Total

Federais

3,1%

3,6%

24,2%

24,2%

36,1%

8,8%

100,0%

Estaduais (UPE)

0,0%

4,4%

15,6%

24,4%

40,0%

15,6%

100,0%

Particulares

2,8%

7,3%

24,9%

22,6%

27,7%

14,8%

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Gráfico 4 – Ocupação Profissional

clip_image002[7]
Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Tabela 2 – Ocupação profissional por sexo

 

Masculino

Feminino

Só estudo

35,1%

48,4%

Faço estágio

23,0%

25,8%

Sou bolsista de iniciação científica / Monitor

6,5%

6,2%

Trabalho em empresa da família

5,8%

2,3%

Tenho emprego fixo

23,4%

16,3%

Sou empreendedor / tenho empresa

3,1%

0,3%

Outros

3,1%

0,7%

Total

100,0%

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Analisando o Gráfico 4 pode-se notar que quase metade dos entrevistados (41,9%) só estudam, seguido dos que fazem estágio (24,5%), a passo que apenas 1,7% é empreendedor/tem empresa própria. Ao cruzar ocupação profissional com sexo, chegamos a conclusão que os homens têm mais emprego fixo que as mulheres ao que as mulheres estagiam mais que os homens. Outro destaque também é para a iniciativa empreendedora dos homens, que mesmo sendo um percentual baixo, é muito relevante se comparado ao das mulheres.

No Gráfico 5 observa-se que observa-se que quase metade dos estudantes que responderam a pesquisa utilizam o transporte coletivo (45,6%) como principal meio de locomoção, enquanto que 37,8% possuem carro próprio e/ou moto.

Gráfico 5 – Meio de locomoçãoclip_image002[9]
Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Tabela 3 – Renda familiar por meio de locomoção

 

Transporte Coletivo

Carona

Carro próprio / Moto

À pé / Bicicleta

Outros

Total

Até 1 SM

81,3%

12,5%

6,2%

0,0%

0,0%

100,0%

Entre 1 e 2 SM

71,4%

0,0%

17,1%

11,5%

0,0%

100,0%

Entre 2 e 5 SM

67,6%

8,5%

16,9%

6,3%

0,7%

100,0%

Entre 5 e 10 SM

44,6%

13,7%

37,4%

4,3%

0,0%

100,0%

Mais do que 10 SM

23,5%

10,2%

60,4%

3,8%

2,1%

100,0%

Não respondeu

41,6%

14,3%

37,7%

6,4%

0,0%

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Vemos na Tabela 3 que os que mais utilizam o transporte público são os alunos cuja renda familiar é de até 1 salário mínimo, o que já seria de se esperar, e os que possuem carro próprio e/ou moto são os alunos com mais de 10 salários mínimos de renda familiar.

Ao questionar sobre moradia, obtemos o seguinte gráfico 6:

Gráfico 6 – Moradia

clip_image002[11]
Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Verificamos que a maioria mora com os pais, e ao relacionarmos esta informação com a quantidade de filhos dos entrevistados, vemos, na Tabela 4, que:

Tabela 4 – Moradia por quantidade de filhos

 

Com pais

Com amigos

Com esposa e/ou filhos

Moro só

Outros

Total

nenhum filho

81,0%

3,0%

3,2%

6,5%

6,3%

100,0%

um filho

50,0%

7,1%

35,7%

3,6%

3,6%

100,0%

dois filhos

20,0%

0,0%

80,0%

0,0%

0,0%

100,0%

três filhos

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

quatro filhos

100,0%

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Metade dos estudantes que possuem um filho mora com os pais. Relacionando tal informação com a faixa de idade temos, no Gráfico 7, que a faixa de idade onde se encontra a maioria dos estudantes que têm um filho é de 22 a 25 anos. Jovens, em seu meado, pais e mães solteiros.

Gráfico 7 – Quantidade de filhos por idade

 

até 19 anos

de 20 a 21 anos

de 22 a 25 anos

mais que 25 anos

Total

nenhum filho

17,8%

27,6%

44,5%

10,1%

100,0%

um filho

0,0%

14,3%

42,9%

42,9%

100,0%

dois filhos

0,0%

0,0%

20,0%

80,0%

100,0%

três filhos

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

quatro filhos

0,0%

0,0%

100,0%

0,0%

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Sobre o tipo de escola freqüentada durante o ensino médio, 78,3% dos alunos responderam ter feito todo em escola privada, atentando para o fato que também a maioria possui renda familiar a 10 salários mínimos. Ver Tabela 5 abaixo.

Tabela 5 – Fez o ensino médio em escola pública ou privada?

Todo em escola privada

78,3%

Todo em escola pública

15,4%

Parte na pública, parte na escola privada

6,3%

Total

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Ao relacionarmos as informações da Tabela acima com as Instituições onde os graduandos estudam atualmente, vemos, na Tabela 6, que:

Tabela 6 – Tipo de escola freqüentada no ensino médio por grupos acadêmicos
 

Todo em escola pública

Parte na pública, parte na escola privada

Todo em escola privada

Total

Federais

21,1%

2,6%

76,3%

100,0%

Estaduais

11,4%

4,5%

84,1%

100,0%

Particulares

12,8%

8,5%

78,7%

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Fica possível observar que quase como consequência da Tabela 5, a Tabela 6 mostra que também é a maioria dos estudantes advindos da rede privada que estudam nas Instituições Federais, Estaduais e Particulares, no entanto, dentre os estudantes advindos totalmente das escolas públicas, 21,1% estudam nas federais, um percentual considerável se pensarmos nas condições que esses alunos têm para estudar, assim como se considerarmos a classe econômica a qual eles pertencem, percebida pela renda familiar, onde mais da metade deles tem renda familiar entre 2 e 5 salários mínimos. Ver tabela 7.

Tabela 7 – Tipo de escola frequentada no ensino médio por renda familiar
 

Até 1 SM

Entre 1 e 2 SM

Entre 2 e 5 SM

Entre 5 e 10 SM

Mais do que 10 SM

Não respondeu

Total

Todo em escola pública

5,6%

12,2%

56,7%

12,2%

4,4%

8,9%

100,0%

Parte na pública, parte na escola privada

5,4%

8,1%

37,8%

32,4%

8,1%

8,1%

100,0%

Todo em escola privada

2,0%

4,4%

16,1%

24,8%

38,3%

14,4%

100,0%

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)

Outra questão observada foi a religião dos estudantes e relacionando-a com o sexo observamos, no Gráfico 9, que a maioria dos estudantes entrevistados é católica, tendo como o sexo feminino dominante com 60,20%. Porém, um dado curioso é que 27,6% dos homens e 18,8% das mulheres não têm religião, um percentual relativamente alto em relação à população total.

Gráfico 9 – Religião por sexo
clip_image002[13]

Fonte: UFPE (pesquisa própria realizada entre 14 e 25 de Maio)


 
 

Coisas que você pode fazer a partir daqui:

 
 
TwitThis
Share |

0 comentários:

;

Pesquisa na WEB

Carregando...

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também