sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Typekit, mais opções de fontes na web

 
 

Enviado para você por Penha através do Google Reader:

 
 


Do ponto de vista tipográfico, há várias limitações para um designer na hora de criar um site na web. Se ele quiser utilizar outras fontes em seu layout além daquelas "padrões" que já vêm com o sistema operacional, poderá recorrer a duas saídas: usar imagens, ou fazer uma gambiarra com JavaScript - o que pode ferir a EULA da fonte em questão, já que, fuçando nos arquivos do site, o usuário poderia tranqüilamente conseguir este arquivo. Ambas as soluções são pouco práticas e tornam o uso limitado. Além dessas, existe uma terceira solução, que virá com a próxima versão do CSS, que continua dependente das fontes instaladas na máquina do usuário.

O que pouca gente sabe é que fontes têm tantos problemas relacionados a licenciamento quanto softwares. A verdade é que fontes são, até certo ponto, consideradas software, e suas licenças são muito parecidas. Porém, por se tratarem de um arquivinho quase insignificante na máquina do usuário, parece até que a pirataria de tipos é menos errada que a de qualquer outra coisa. O valor e o trabalho monstro gastos na produção de uma fonte de qualidade não são percebidos quando o que se tem diante dos olhos é uma porção de letrinhas.

Até agora, não havia muito o que fazer quanto a isso, e de um amplo espectro de fontes existentes no mundo, os designers estavam restritos a algumas poucas famílias tipográficas, como Arial, Times, Trebuchet, Verdana, Courier e Georgia, algumas de qualidade bastante questionável. Até agora.

Usando a propriedade @font-face do CSS3 já suportada por alguns browsers, mas ao invés de referenciar arquivos na máquina do usuário o faz num serviço próprio, o Typekit vem para acabar com esse problema. Funciona assim: o webdesigner se registra no Typekit, registra o site que utilizará o serviço, e tem a opção de escolher planos pagos ou o gratuito. Dependendo do plano, ele terá uma determinada gama de fontes para utilizar em seus sites, disponibilizadas pelas typefounderies cadastradas. Mesmo no plano gratuito, o número de tipos é muito maior que a meia dúzia de tipos default.

Para ver o Typekit em ação, basta ver esta e esta página num browser que suporte a propriedade @font-face do CSS3, no site da typefounderie brasileira Outras Fontes, de Ricardo Esteves.


 
 

Coisas que você pode fazer a partir daqui:

 
 
TwitThis
Share |

0 comentários:

;

Pesquisa na WEB

Carregando...

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também