terça-feira, 27 de abril de 2010

Denúncia - Fraude nos Ônibus de Porto Alegre




Este artigo é destinado a servir de alerta a uma fraude praticada por alguns funcionários de empresas de ônibus em Porto Alegre.

Nossa capital tem um dos melhores sistemas de transporte público do país isso comparado com outras capitais de outros estados. Há alguns anos atrás era usado um vale transporte plástico (fichinha) para pagar sua passagem e dinheiro como ainda e usado. Nesta época havia um comércio irregular e venda destas “fichinhas” qualquer pessoa podia comprar bebidas, cigarros e etc. Para coibir este comércio nossa Prefeitura e a Associação das Empresas de Ônibus de Porto Alegre contrataram uma empresa especializada em soluções tecnológicas para substituição deste modelo antigo de vale transporte.

Foram implantados em todos os ônibus de Porto Alegre equipamentos eletrônicos de identificação por um tipo de cartão de proximidade, que qualquer pessoa que trabalhe ou mesmo adquire na empresa que fornece esta solução. Seria uma forma de acabar com um tipo de “crime” que estava acontecendo com os vales transportes usado em nossos ônibus. Bom, até ai tudo bem! Mas uma coisa foi resolvida e agora de que forma e feita a fiscalização deste novo sistema? Será que existe uma forma de driblar ele, e tirar vantagem de quem ainda paga com dinheiro à passagem de ônibus?

Tenho observado faz algum tempo como “cobradores” têm feito para burlar este novo sistema e poder assim ficar com o valor indevidamente para si. Percebo que usuários que possuem o cartão TRI estão indiretamente ajudando estes ditos “cobradores”, fui testemunha diversas vezes deste procedimento criminoso dentro de nossos coletivos. Se eu sou passageiro escolar, isento, idoso, empregado ou que compre antecipadamente a passagem, então somos portadores deste cartão para ser usado no ônibus.

Entenda agora como é feita a fraude:


1.Entro no ônibus e não passo a roleta.
2.O cobrador pergunta se vou pagar em dinheiro ou cartão.
3.Dou o cartão para o cobrador.
4.Ele aproxima do equipamento identificador.
5.O aparelho fica ativado e libera a catraca, mas eu não passo por ela.
6.Soube outra pessoa com dinheiro vivo (R$ 2,45) e passa pela catraca que anteriormente estava liberada com cartão.
7.E eu ao invés de descer pela porta correta saio pela mesma que entrei.
8.O valor da passagem paga em dinheiro não fica no caixa e sim com o funcionário (cobrador).

Isso é apenas uma das formas que percebi que estes funcionários fazem para ficar com este valor. Perguntando pelo funcionamento deste sistema a estas mesmas pessoas elas afirmam que o dinheiro fica no caixa, e que elas se enganaram e apertaram um dos botões errado. Uma coisa existe dois botões na parte de baixo do caixa que servem para dizer ao equipamento que tipo de usuários é. Como por exemplo: escolar, idoso ou pagante em dinheiro. A pessoa que possui vale antecipado ou vale transporte não é necessário apertar um destes botões.

A nestes últimos dias tenho percebido que isso já se tornou pratica normal entre estas pessoas, pois conversando com alguns cobradores perguntei a eles se isso era normal, para meu espanto a resposta foi sim, já existiam outras formas de ganhar um dinheiro extra o tão falado “para o cafezinho” assim denominado por eles.

Numa das linhas que verifiquei esta fraude do sistema de passagem integrada à linha T9 da empresa Carris, notei que a pessoa a todo o momento perguntava que modo de pagamento as pessoas que estavam na frente do ônibus iriam fazer, e o procedimento que relatei anteriormente era feito na frente de todos. Uma das vezes quando fui pagar a passagem notei que o equipamento estava marcando “Escolar” e passei e dei o valor da passagem à pessoa que estava como cobrador desta linha (T9) e sentei num banco perto da roleta e pude perceber que outras pessoas que pagaram com dinheiro havia acontecido à mesma coisa comigo. Quando chegou perto do final da linha perto da empresa Carris, questionei a pessoa referente aos valores que haviam passado neste procedimento ela me respondeu que “sim este dinheiro e contabilizado no caixa sim”, mas percebi que a roleta não era girada quando um passageiro que dava o cartão e descia pela porta da frente e outro com o dinheiro passavam na sua vez e a catraca estava marcando outra coisa e não o correto que deveria ser “pagante”.

Hoje antes de escrever este artigo estava num ônibus do consórcio Ônibus e quando passei pela roleta estava marcando a palavra “IDOSO” dei o valor para o cobrador e percebi que ele não acionou o botão correto e girou a roleta. Perguntei a ele como eu passei na roleta ou catraca como “idoso” se eu havia pagado em dinheiro? Ele disse que uma pessoa havia passado o cartão e não passou a roleta. Mas ai que fiquei mais intrigado com isso, pois estava acompanhado de minha filha e dei o valor de R$ 5,00 para o pagamento da passagem e ai minha filha me disse que ele tinha passado um cartão e pegado o valor. Como isso é possível como um cobrador possui um cartão de idoso com ele? E percebi que o dinheiro não era colocado o caixa e sim no seu bolso.


Observei este procedimento nefasto de alguns, por vários dias nos ônibus de Porto Alegre, parece fácil criticar e não apresentar uma solução, mas acredito que é bem simples. Deveria ser abolido o pagamento em dinheiro nos ônibus da capital, deveria ter locais associados com as empresas de transportes ou mesma a empresa que administra este sistema para que possamos comprar o valor da passagem.

Já existe um lugar assim que esta localizada no centro da Capital na Rua Uruguai entre o numero 35 e 91 desta rua. E também a ATP mantém um veiculo que fica em alguns pontos da capital para que os usuários comprem as passagens antecipadamente. Mas minha sugestão e que possa ter locais como mercados, farmácias, no mesmo modo que hoje compramos créditos para nossos aparelhos celulares. Outra coisa a se dizer que a primeira vez que testemunhei este procedimento liguei para a empresa que deveria fiscalizar o transporte publico da cidade EPTC fiz a reclamação e para meu espanto o mesmo funcionário de denunciei estava na mesma linha e fazendo na minha frente o mesmo processo de fraude usando o novo sistema de passagem integrada.

Fica aqui meu relato e que possa servir de alerta as autoridades e também aos usuários do ônibus de Porto Alegre de que estamos sendo roubados e que nosso dinheiro que deveria ser usado para melhorias em nosso transporte público esta indo para o bolso de funcionários corruptos e sendo usado sabe lá para que? Não é?

Então fique com seus olhos abertos quando pagar em dinheiro a sua passagem e não entregue seu cartão na mão de uma pessoa que não conhece que vai usar indevidamente ele. Não podemos ser parceiros neste crime, pois ele não trás beneficio a ninguém nem mesmo ao cobrador, pois se for descoberto pode ser demitido por justa causa e ainda ser processado por roubo se assim alguém prestar uma queixa policial (pelo menos assim que deveria ser).

Blog do Penha
TwitThis
Share |

1 comentários:

Uagner disse...

É a mais pura verdade, sempre ando de ônibus em POA, as vezes 4 vezes ao dia, e já vi isso, vi também cobradores que tem cartões de isentos, e para cada pessoa que paga em dinheiro, passa o cartão de isento.

;

Pesquisa na WEB

Carregando...

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também