terça-feira, 12 de agosto de 2008

Como começar a carreira de Editor?



 
 

Enviado para você por Penha através do Google Reader:

 
 

via Carreirasolo.org de Carolina Vigna-Marú em 05/08/08

Bookshelf
Creative Commons License photo credit: heipei

Olha, honestamente, ser editor não é algo que a gente decide se tornar. É uma coisa meio que os profissionais se tornam com o tempo. É uma profissão que leva muito tempo para formar um bom profissional.

Agora, nada, absolutamente nada, impede você de começar abrindo uma editora, publicando um ou outro livro na sua área de especialidade e, com o tempo, ir aprendendo e se expandindo. O que não existe é o "vou abrir uma editora e ser a próxima líder de mercado".

E, claro, precisa ter dinheiro para investir. Livros são caros (revistas mais ainda!) e a quantidade de erro é muito grande (erro = livro que não vende). Tem uma piadinha velha no setor: "Como um editor comete suicídio? Se joga do alto do seu estoque." ;D

A gente está passando por um período de transição muito grande e ninguém tem muitas respostas ainda. É óbvio que o mercado está mudando mas a verdade nua e crua é que nenhum profissional do meio sabe em que direção.

A gente sabe que existem caminhos que fracassaram, como o ebook por exemplo, mas qual a resposta certa ninguém sabe. Por este motivo, acho que a melhor dica que eu tenho pra te dar é: comece pequeno, devagar e faça uma coisa de cada vez.

Habilidades, conhecimento e dicas

Alguma coisa a gente sempre pode indicar. O editor é meio que uma soma de várias especialidades. Aqui vou relacionar algumas delas sem nenhuma ordem específica, só a da minha lembrança, ok? Antes de tudo, recomendo o MBA da Indústria do Livro na ESPM, um ótimo ponto de partida para quem quer entrar no mercado.

Vamos lá as habilidades e conhecimento que você precisa ter na cartola, ou estante…

  • Produção gráfica: Os livros do Amaury Fernandes[bb] são um bom começo. É importante vc visitar uma gráfica também, de preferência duas: uma bem pequena e uma grande, pra você ver como funciona a coisa toda.
  • Direito autoral: Essa é paradoxalmente a área mais difícil de entender e a mais fácil de achar referências.
  • Relação com o autor: Isso vai muito mais de experiência. Não é uma coisa que eu consiga passar rapidamente e muito menos num post. E posso garantir que você vai começar bem devagar ( ou seja, pessimamente :D ) mas vai ficar ótima com o tempo. De cara, a dica que eu tenho pra te dar é sempre respeitar o autor como o "pai" da criança mas nunca abrir mão do que você pensa e se isso significa abrir mão daquele título, paciência, outros virão. O que não falta no mercado é bom texto e se o autor "empaca" você gentilmente - sempre na delicadeza! - recusa o livro.
    E isso não significa que o livro seja bom ou ruim (é verdade) mas que apenas não está adequado à sua necessidade editorial. Agora, autores, como qualquer artista, são muito sensíveis e precisam ser tratados com o máximo de delicadeza.
  • Mercado: Olha, isso é tão, mas tão confuso, que honestamente eu te recomendo contratar um gerente comercial especializado em editoras. As livrarias enlouquecem um ser humano: fecham ao seu bel prazer, em datas específicas. Só pra citar um exemplo concreto: se você não consegue ser atendido (não é nem se você não consegue ir lá, repare!) numa livraria no Rio de Janeiro na terceira quarta-feira do mês na parte da tarde, você perde um mês inteiro de contabilidade. É sério. E cada livraria tem o seu fechamento e que nem sempre é mensal. Isso, fora a questão da distribuição que são a prova-mor de que editores são pessoas pacíficas. O distribuidor fica com 50 a 60% do preço de capa e muitas vezes simplesmente se recusa a atender novos editores. Quando eu comecei, eu mesma fazia a distribuição mas isso é como se eu decidisse ter um restaurante e um açougue ao mesmo tempo - são duas profissões, foi uma loucura. A emissão de notas fiscais também é uma zona. Tem código separado para se é consignação, se é venda, se é recebimento da consignação, se é recebimento da venda, se é reposição, se é… Enfim, é quase uma sub-especialização dentro do mercado editorial.
  • Escrever bem: Escrever bem não é escrever sem erros. Para isso temos os revisores. Escrever bem é escrever com clareza e fluidez. E isso vai além da sua área de especialidade. Você ser geóloga não significa que sabe escrever um livro de geologia, por exemplo. E isso é um erro que muitos cometem e cabe a você discernir entre uma coisa e outra. E, para ter esse discernimento, você precisa primeiro saber fazer.
  • Ter um profundo conhecimento de livros: Isso não é algo que se adquira. Ou você tem a essa altura ou vai levar anos construindo. E é aqui que está a diferença entre o bom e medíocre editor. Esse conhecimento do que investir, do que e como publicar, de que jeito, de que formato, enfim… Isso a gente leva anos construindo. Agora, nada te impede de contratar um editor. De ser dona de editora e contratar um editor para trabalhar para você.

Para fechar

Os tópicos acima são sugestões inciais. Não deixem de comentar e compartilhar experiências neste sentido, ok?

Compartilhe!


 
 

Coisas que você pode fazer a partir daqui:

 
 
TwitThis
Share |

0 comentários:

;

Pesquisa na WEB

Carregando...

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também