quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Windows for Submarines™



 
 

Enviado para você por Penha através do Google Reader:

 
 


A Marinha Real Inglesa conseguiu um feito: Implementou antes do prazo a migração dos sistemas de informática de sua frota de submarinos nucleares. Até então os computadores e programas eram todos o auge da tecnologia dos anos 70 (isto é, barro fofo e pedra lascada).

Agora os sistemas rodam em rede Ethernet e uma versão customizada do Windows XP.

Isso mesmo.


"é azul mas é plástico, não tela"

Os argumentos para implantação do Windows são, curiosamente, os mesmos que os freetards usam para defender Open Source: Livrar-se de implementações proprietárias e não depender de um fornecedor único. Dado o tamanho do ecosistema Windows, a argumentação é válida.

Agora a parte assustadora mesmo para os maiores evangelistas da Microsoft: A BAE Systems, empresa que cuidou da migração, implementação e customização dos sistemas informou que fizeram a implantação de todo o Sistema de Comando do HMS Vigillant, um submarino nuclear lançador de mísseis balísticos classe Vanguard em apenas 18 dias.

Nem "Hello World" é implantado em 18 dias. Imagino que esse seja apenas o tempo da instalação final dos softwares, já que até o cabeamento teve que ser refeito.

Os usuários estão adorando, e dá até para entender. Trocar monitores monocromáticos com gráficos dos anos 70 e informação restrita a letrinhas verdes por uma interface decente (ou ao menos igual a que o sujeito usa em casa) é um senhor avanço.

Foram levantadas dúvidas sobre segurança, mas qualquer administrador de redes decente vai se sentir ofendido se você comparar o Windows Desktop que seu priminho roda em casa com jogos comprados no jornaleiro e doados por "amiguinhos" com uma instalação de primeira linha. Vide a quantidade de vezes que a Microsoft foi invadida nos últimos anos. E não foi por falta de tentativa.

"Capitão, ele diz que para utilizar as contramedidas de
emergência precisamos antes rodar o Windows Update..."

Outro bom argumento: não é exatamente simples acessar fisicamente a rede de um submarino, eles não ficam conectados via WIFI e você precisaria de um cabo de rede ENORME se fosse ficar em terra.

O sistema está sendo adaptado para destroyers da Marinha Real, esses sim ficarão em rede, wireless o tempo todo, mas algo que diz que não será WIFI, vulnerável a packet sniffer e quebradores de proteção WEP.

Vantagem final? Economia de 22 milhões de Libras Esterlinas, dar manutenção na velharia saía bem caro.

Desvantagem final? Se as histórias sobre backdoors do Windows forem verdadeiras, o Ballmer agora possúi acesso e controle direto sobre armas nucleares. ahuhauhua<== risada maligna.

Fonte: The Register


 
 

Coisas que você pode fazer a partir daqui:

 
 
TwitThis
Share |

0 comentários:

;

Pesquisa na WEB

Carregando...

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também